PARTE DE MIM....

PARTE DE MIM....
(Reprodução proibida sem autorização do autor. Todos os direitos reservados.)

sábado, 31 de dezembro de 2011

A TI... A MIM...A TODOS que se identifiquem!

(imagem retirada da net)

Não esquecerei aquele abraço
o sorriso de uma noite
a alegria de viver
o cansaço
a tua mão
na minha
lembro-me
como se fosse
hoje
aquela espera
numa noite
de lua cheia!

Tudo foram
momentos
encantos com sentido
pensamentos
onde o coração
não ganhou juízo!...

é sobre esta imagem
que descanso
certas noites
enrolando a saudade
o cheiro
o mistério
do teu olhar
o desenrolar
do teu cabelo
aquele
nosso agitar

ambos
fomos mistério
loucura
sem juramentos
também
fomos ternura

talvez um dia
quem sabe
voltarei
a abraçar o teu sorriso
num espaço só nosso
simples
quente

talvez
um dia
voltarei a ser amada
como gente!
By me ANA
2011/12/31

antes que o ano termine faz-se uma retrospectiva lúcida da nossa vida, existem espaços vazios que não foram ocupados, talvez porque não quiséssemos ou porque o destino assim o quis....existem coisas que ficarão para sempre na nossa lembrança, que nos marcaram por esta ou aquela razão, coisas só nossas,onde a memória não faz esforço para que se esqueçam, coisas simples, mas tão saborosas interiormente que nos dão força para continuar a viver. Brindo ao velho ano e brindo igualmente ao novo que aí vem, com a mesma tenacidade e vontade com que acordo todos os dias de minha vida!
este será o último post deste ano neste blog, outros se seguirão no novo ano assim espero, poder continuar a partilhar com aqueles que por aqui passam os meus pensamentos.... A TODOS O MEU AGRADECIMENTO!
FELIZ 2012

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

DA VIDA

(imagem retirada da net)

Da vida
espero sorrisos
marcas profundas
olhares de gratidão
num embriagar de alma
espero
aquela dança
quero tremer de emoção
quero destrancar
a paixão
caminhar de mãos dadas
com a razão
crescer
viver
entre o sol e a lua
teu rosto quero ver
deixando a minha loucura
em teus braços morrer!
By me ANA
2011/12/28

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

HOJE...Mato o tempo nas pontas dos dedos!

(imagem retirada da net)

Hoje

mato o tempo nas pontas dos dedos
segredando silêncios,

do alto da minha janela
dispo a pele que me veste,
abraço a noite que esvoaça
na velha vidraça,

já não corro atrás das palavras,
invento histórias
que fogem dentro do peito,
envolvo as memórias,
sorrio quando as desfolho
e voo ….sim, voo
quando o olhar se perde
passeando-se pelas recordações,

hoje

mato o tempo nas pontas dos dedos
inventado sonhos,

esquartejo os pensamentos,
amanso a saudade,
enquanto a noite me envolve
não deixando morrer a minha liberdade,

hoje

mato o tempo nas pontas dos dedos
desenhando faces,

procurando respostas,
tréguas de um tempo passado,
magia que se entrelaça
e se mistura na mesma vidraça...

hoje

mato o tempo nas pontas dos dedos
sufocando a voz,

os uivos misturam-se
por entre travos de um novo amanhecer!

Hoje

mato o tempo nas pontas dos dedos....
by me ANA
2011/12/27

domingo, 18 de dezembro de 2011

i like it

(imagem retirada da net)

Percorro aquele
espaço

movo-me
sobre linhas
tortas

tentáculos de desejos

lugares verdejantes
onde os nossos
lábios
um dia se irão
encontrar

moro no infinito
nas profundezas da vida
lugar recôndito

espreito a cada momento

sinto o tempo
a vida

mas... inteira
fico
nas esperas

é tarde...sim eu sei!
Mas por ti
mais um dia
esperarei!
By me ANA
2011-12-18

PROCURO-TE

(imagem retirada da net)

Procuro-te
na surdina de cada entardecer,
esperanças que vão e vêm
por entre milhares de rostos
procuro-te!

o tempo passa por mim,
passa por nós,
sinto o bater de cada
segundo
na mansidão dos meus
pensamentos,
vagueio nas asas desta loucura,

por vezes sou pecado,
sou malícia,
sou lírio desfolhado,
sou o avesso da vida,
luz que se esfuma
num madrigal qualquer!

Procuro-te..
dentro de mim
procuro-te !
quando me dou,
quando desnudo a pele
e num roçar de calma
de ternura súbita
nossos olhos se encontram,
o sangue explode,
o ar se transforma,
e de mansinho
nos amamos!

Procuro-te...
nos espaços vazios.
nos recantos
de minha dor.
por entre madrugadas frias,

procuro-te...
quando as feridas
teimam em não sarar,
procuro-te
em cada luar!

e...nos escombros
dos meus sonhos...

TEIMO EM TE …. procurAR.....
by ME ANA
2011-12-18

UM POEMA PARA ...TI

(imagem retirada da net)

Um poema para ….TI

queria alcançar-te
e poder tocar-te,
ficar nos teus braços ,
sentindo o teu calor,
tua boca,
tua ternura,
queria no tempo
sentir-me
desnuda,

queria...
que todos os meus pensamentos,
os meus sentidos,
todos os meus lamentos
se desfizessem
em pequena flores
dedilhados de amores,

na calada da noite
seguir-te
bem de pertinho
num amaciar de pele
ter-te
num beijar de lua
ser simplesmente tua,

e...quando o sol despertasse
queria rebolar na emoção
de uma noite eterna paixão!

By me ANA
2011/12/18

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

coisas simples

(imagem retirada da net)

Sigo o caminho,
por vezes a nostalgia volta,
quase que me sufoca
turvando-me o olhar,
resisto,
fujo do incerto
deixando-me levar pela maresia
que me toca
em cada anoitecer,
penso nas palavras,
retoco a alma,
beijo
a terra ainda húmida
evocando cada sentimento
que ainda me prende,
talvez seja cobardia,
talvez seja esta teia
que me rodeia
enredando o pensamento,
não sei!
Fico para lá da ausência,
entre a vontade
e...
...a indecência,
volto a sonhar-te,
afago o corpo
por entre mil desejos,
perdendo-me
nas horas,
nos dias,
invento histórias
mil melodias,
talvez precisasse
de te encontrar
só mais uma vez,
de te tocar,
para poder dentro de mim
viver
este amor sem fim...
...não sei!...
….Se tu sabes!
Mas gosto de ti!
Aliás...sempre gostei,
do tempo,
da chuva,
e quando o sol me acaricia
soletro
o teu nome
quando anoitece
e a lua
me beija!...
...sem tempo marcado!
Coisas simples....
de gente simples...
by me ANA
2011/12/13

sábado, 10 de dezembro de 2011

HOJE...APETECEU-ME

(imagem retirada da net)


HOJE...APETECEU-ME!

Apeteceu-me,
subitamente apeteceu-me recordar-te,
talvez porque a vida me endureceu,
ou, porque atravessei a porta da insensatez,
não sei,
simplesmente apeteceu-me,
enquanto o fiz dobrei-me
sobre o nós
com a mesma irreverência
de quando caminhava sem te perceber,
esmaguei as lágrimas,
para que não me atrapalhassem
o pensamento,
rocei os meus cabelos
no teu cheiro,
embrulhei-me no teu corpo
desejando que o tempo
não tivesse passado,
aos poucos fui devassando a memória
recuando na história
senti-me....
….fresca...viva...
...sem qualquer dor
apeteceu-me ajoelhar nas tuas mãos
enquanto jogava este jogo
de cabra cega....
fui perdendo a noção do tempo,
era como se mais nada importasse
….vivi.... fora de tempo
aos poucos os batimentos sincronizaram
encorpando o som daquela musica
que tantas vezes nos fez sonhar
saboreando a palavra
AMAR....
BY me ANA
2011/12/10

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

QUERO SER....

(imagem retirada da net)

Quero morder a saudade
transporta-la no meu regaço
amansando o seu chegar

quero espraiar o olhar

com toda a determinação

quero beijar a solidão

ser paz em sua mão
dependurando em cada dia
um sorriso de satisfação

quero...tudo...
a que tenho direito

sentindo a vida em cada dia

quero abraçar com alegria
beijar a tempo inteiro
soletrar cada palavra
como se fosse a última

quero saber ver...sentir...e amar

quero ter prazer de viver

rodopiando nas horas
em cada alvorecer
quebrando a monotonia
do meu sentir


quero...

….ser a luz que ilumina o teu olhar
O sol que te aquece...
….o abraço que conforta
o beijo que te acalma...

quero...ser... apenas eu...
num dia feliz!
By me ANA
2011/11/08

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

ENSAIANDO

(imagem retirada da net)

Ensaiando

aproxima-se a noite
para trás ficou o medo,
a tristeza,
de mais um dia,
uma lição
que a vida fez questão
de presentear...

sem medo...

prepara-se o ensaio
arrancando todas as tristezas
sob um olhar atento
que escorrega
no pensamento!

Sem pressa...

misturam-se os condimentos,
remexem-se os momentos,
aconchega-se a terra
para depositar a semente,
e assim,
bem devagarinho,
já vencida
pelo cansaço
invento aquele abraço,
penetrando dentro dela
e volto a sonhar
deixando a mente
livre
para poder viajar
num ensaio de vida....

ensaiando....
….as horas mortas
que me servem de companhia!
By me ANA
2011/12/06

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

outra parte de mim

(imagem retirada da net)

OUTRA PARTE DE MIM

Faço um esforço para acordar por dentro,
erguendo o olhar em cada madrugada,
espreguiço o ventre,
rodopio
para não sentir frio,
e num acalmar aparente
começo o dia
por vezes sem alegria...

não...não me quero trancar por dentro!

não quero voltar a sentir a falta
daquela voz,
daquele abraço,
do beijo,
apenas quero derrubar
o cansaço,
afagando a mente
num desmentir de escuridão,
quero conseguir estender
a mesma mão
libertando a saudade
permanecendo dentro do vosso mundo
sem que sintam pena
quero que o vosso olhar
seja profundo,
limpo...

...nem longe...nem perto

mesmo que tenha que atravessar
aquele deserto de emoções,
quero agarrar a lua
com a mesma satisfação
de quando era criança,
sim...
não quero que sintam pena
de mim,
e..quando escurecer
quero agarrar a tristeza
com a mesma certeza
de quem vive,
de quem ama,
de quem também
tem um nome
uma alma
um sorriso,
e, num debruçar de vontades
se liberta
deixando-se ir
rebolando numa qualquer
praia deserta....
by me ANA
2011/12/05

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Tin Pay Alley

HOMEM/MULHER

(imagem retirada da net)

HOMEM/MULHER

Mergulho
em tuas mãos
saciando o meu sexo húmido,
lentamente
o meu corpo descobre
o teu,
labaredas de paixão
nos percorrem,
o peito arfa,
a face cor de romã
estremece
quando
os teus dedos
rodopiam nos mamilos
tesos,
...somos...
….carne....
….suor...
….somos...
o despertar
frutos maduros
que se desnudam
deixando um adentrar
de alma
que nos tinge
o olhar.
pecado vivo
nas nossas línguas
que se enrolam
em cada anoitecer....
sou eu..
és tu...
pedaço de tempo
onde a paixão
aconteceu!
By ANA
2011/12/02

sábado, 26 de novembro de 2011

ESPREGUIÇO

(Imagem retirada da net)

ESPREGUIÇO

Espreguiço o pensamento,
a vontade ,
o olhar,
o sorriso,
espreguiço cada momento
quando embalo as memórias,
quando espreito o espelho,
quando me toco
em silêncio,
espreguiço-me
em cada anoitecer...

e antes que o coração
fale,
espreguiço a vida real
numa
viagem alucinogénica
de quem sente,
sofre,
chora,
dança,
e em cada silêncio
transporta
sonhos,
desertos de ambições
dependurando-me
nos braços de cada alvorecer....

espreguiço cada vontade,
inventando sonhos de verdade,
segredos,
ternuras,
transporto em cada poro
limites
nascentes
verdades tão maduras...
malmequeres
que desabrocham
num espreguiçar
de peito,
ajeitando-se em cada toque
quando teus lábios
me beijam
num êxtase infinito

espreguiço cada dia
com esperança e alegria!
By me ANA
2011/11/26

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

vem esta noite!

(foto retirada da net André Brito)

Vem esta noite!.

Visto-me do orvalho da noite
espero-te por entre braçados
de esperanças
curvando-me nas ousadias
e nua
enfeito-me de metades
imaginando
histórias que ficaram por contar
chamo-te
para junto de mim
enfeito-me de estrelas
no choro desta noite
e já cansada
percorro mais um jardim
procuro-te
na calada da noite
para em teus braços
descansar por fim...
vem...
vem esta noite
deixa-me o teu corpo percorrer
não deixes o nosso amor
morrer...
By me Ana

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

QUERO MORRER LENTAMENTE...

(imagem retirada da net)

Quero morrer lentamente
desbravando a saudade,
sentindo o desejo que arde
dentro de mim.

Quero rasgar o meu ventre
por entre laços de mansidão,
engravidando o olhar de prazer
sentindo-te em cada adormecer!

E....

...Nas águas mansas do meu rio
quero abraçar-te, no calor do nosso cio...
...num vai e vem de ternura,
por entre ardósias desalinhadas,
abrir o coração num longo abraço
de êxtase e paixão.

Quero ficar suspensa pela esperança,
aninhada nos silêncios,
sem tempestades ou sangramentos!

Quero morrer lentamente,
levando dentro de mim
a verdadeira emoção
dos sonhos, das paixões
de toda a felicidade
que enche os nossos corações!
By me ANA
2011/11/21

domingo, 20 de novembro de 2011

DÓI...

(imagem retirada da net (Elena Dudina)


Dói...

Dói a saudade,
dói o abraço não dado,
dói...
o entreabrir de lábio,
a palavra que não se solta,
dói...
o desespero,
o corpo nu
enquanto te espero,
dói...
o sabor da onda,
o olhar,
a fugacidade do beijar,
dói...
aquele toque,
a mão que não desliza,
a quentura dos lábios
secos pelo tempo,
pelas ausências,
o vento que fustiga
a alma em cada noite,
dói...
quando o pensamento
num ameno cavaquear
teima em não se desligar...
dói...
cada suspiro,
cada lágrima,
que no seu escorregar
queima,
esventrando o sonho
numa pacata lucidez
como se o tempo parasse
numa espera consentida,
dói...
quando te penso,
quando me imagino,
quando nos recordo,
quando já cansada
fecho os olhos
e te percorro
dói...
uma dor sem destino,
sem direcção,
onde se vive um tempo passado
sem consentimento,
dói..
o hoje...
BY ME ANA
2011/11/20

À conversa com...

(foto retirada da net)

À conversa com....

dois dedos de conversa,
prosas que se degustam
saltitam de lábios ...doçuras
que a vida nos traz,

à conversa contigo...comigo
travos, sabores,
que não morrem no tempo,
saboreiam-se,
remexem-se,
partilham-se,
e quase sem darmos por isso
apuram-se...
manjares de mil sabores e amores!
Segredos sem forma
onde muitas vezes o abraço
é consolo!

À conversa com...

….o mundo,
onde falamos a mesma língua,
os sorrisos têm o mesmo sabor,
a palavra amar o mesmo peso,
e num desajeitar de tempo
falamos apenas do hoje
não usamos clichés,
o amor é simples...sente-se
e não importa que não se saiba
explicar...
sentados de mãos dadas
naquele banco de jardim
esperamos que entardeça,
feitos crianças segredamos
ao ouvido, embalamos poemas
gargalhamos de tudo e de nadas,
e, ainda inteiros recolhemos o luar
deixando simplesmente o hoje acabar!
By me ANA
2011/11/20

FOREVER

ENQUANTO ESPERO...



Enquanto espero passeio os dedos,
num desenrolar de tempo
beijo as saudades,
e nas incertezas
contemplo as falsas verdades,

perco a alma
quando num desassossego
de silêncios
procuro aquele rosto
que outrora pude afagar,

desajeitadamente volto a sonhar
sentando-me na calmaria dos dias
que passam por mim sem me olhar,
sinto os sorrisos melancólicos
que se escondem na agressividade
de cada dia...
sinto os passos que me fogem
sinto-me vencida por um tempo
que deixou de ser meu...

….perdi-me....

esfrego as mãos enrugadas...ásperas,
por entre desencontros,
na falta de afagos, gestos de ternura,
por vezes a vida faz-me...dura
sem sentido ou ambição
sinto as carências, as obrigações
frustrações que se ligam
como se nunca tivesse existido um olhar...

desencontros...

silêncios...

distâncias...

pedaços de mim que sem explicação
percorrem os meus dias numa agitação
constante....

enquanto...espero...
enquanto...te espero...

by me ANA
2011/11/20

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

pensamento de fim de tarde



Todos nós temos sonhos, por vezes damos conta de sonhar acordados, vemos belas paisagens, pinturas em telas vivas, durante a vida vamos aprendendo a conviver com eles, mas sempre com esperança, a mesma que espreita pela manhã e a que se deita na almofada qd carinhosamente afagamos o rosto cansado, mas nada dói mais qd o filme passa e nós nos apercebemos que não constamos da fita e que nela nunca vamos entrar!___AB
2011/11/11

terça-feira, 8 de novembro de 2011

TU ÉS...

(imagem retirada da net)
Tu és...

o mastro que me segura.
a mão que me afaga
horizonte, linha.
um mundo de alegrias
que me enlaça
noite e dia,

tu és...

o meu sorriso,
prata de um olhar,
cascata de encanto
na dureza da vida...

tu és...

desejo,
quando tuas mãos
me percorrem o corpo
e num olhar doce
me desnudam
num tocar de bocas
recifes de prazer,

tu és...

amanhecer,
a força do meu viver,
o meu porto,
cais,
onde um dia eu descansarei,

tu és...

o meu silêncio
estrela, ilusão
verdade por acontecer,
corpo,
flor,
luz e paixão...

by me ANA
2011/11/08

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

ÀS VEZES

(imagem retirada da net)

Às vezes vejo a vida passar por mim

às vezes não sigo as regras nem as horas
deixo o mundo lá fora e....
...salto aquele muro,
da mesma forma de quando era criança

muitas são as vezes que sorrio com vontade de chorar

às vezes penso....

outras, embrulho o olhar e sigo estrada fora

às vezes, olho o mundo de dentro para fora
sem calendário, sem hora,
sentindo o seu rodopiar,

às vezes, levo o mundo para dentro de mim
e aí, sinto as chicotadas, as imperfeições
sinto um doer de alma que nem sempre
o sorriso me adoça ou acalma

às vezes....entrego o coração
esqueço-me de mim, da paixão
daquele desejo...
rescrevo cada pensamento
e sonho...sonho com saudade de mim
despindo a intimidade passeando-me
dentro de uma crua e fria verdade

às vezes....sinto a vida passar por mim
e da janela do meu quarto
sonho o impossível,
bebendo as verdades num gastar de tempo!

Às vezes....
by me ANA
2011/11/07

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

CONVERSAS

(imagem retirada da net)

Conversas

a noite vai alta
despida de luz
os cansaços ganham forma
as desilusões ganham brilho
e...
….as conversas surgem
formando acordes,
ocupando espaços de insónias
que alimentam o olhar
adentrando cada espera,

lá fora o frio faz-se sentir,
o mesmo que vai corroendo
a esperança,
na realidade tudo se transforma!

O sossego,
a paz, que a todo o custo queremos transparecer,
as dificuldades que clareiam
o dia a dia deixando-nos vulneráveis,
os planos que caem por terra,
e os silêncios que chegam a incomodar,
na quietude da noite....

na verdade...
sente-se falta das gargalhadas,
do borboletear da barriga,
de todas aquelas palavras,
conversas limpas
que o silêncio arquitecta
roubando os sorrisos,

conversas....
amadurecimentos de silêncios
que não nos definem,
apenas roubam o sol
numa despedida amarga de vida!
Onde já não me consigo sonhar!
By me ANA
2011/11/02

terça-feira, 1 de novembro de 2011

TEIMOSO

(imagem retirada da net)

Teimoso

pulsa descompassadamente
enquanto lhe ralho
ele pulsa e mente,
insiste na sua loucura,
leviano, sonhador,
idealista sem medida,
provocador, em cada briga
reacende a fogueira,
por vezes
deita-se na incompreensão
desequilibrando a razão,
outras há que se esconde
murchando no anoitecer,
cega na imaginação,
por entre recuos e avanços
recusa-se a envelhecer,
bate forte
na sua irreverência,
também chora
dentro da sua inocência,
é teimoso quanto baste
e dentro da sua teimosia
mantém viva
toda a minha alegria!
Coração de papelão
desfaz-se por vezes
sem qualquer razão!
By me ANA
2011/11/01

PULSA O SILÊNCIO

(luminosity by photoport_reti. da net)


PULSA O SILÊNCIO...

Pulsa o silêncio dentro de mim,
enquanto num choro apagado
sonho com os teus olhos,
aqueles que um dia
olharam para mim,

nada mais espero,
apenas o silêncio me rodeia
permanecendo dentro desta amargura,
outrora em corpo de menina
hoje dentro de uma pele
velha e madura.

destino! Talvez!

Enquanto o olhar se espraia
pelo sol que se passeia indiferente,
ergo de soslaio o rosto,
apagado pelo tempo
e, deixo correr a brisa
já sem esperança
de um dia te voltar a ter....

sinto-me cansada, faminta,
sem graça...
diria até que, esvaziei a saudade,
será uma insensatez! Quem sabe!
Por vezes a boca foge para a verdade
desarmando os sonhos,
e algures cá dentro
surge aquela luz,
num espaço louco
aquele, que me transforma
e sem regras pulsa
uma e outra vez dentro de mim...

mas....são apenas espaços,
laivos de esquecimentos,
ruelas de uma escravidão
que o coração teima em guardar.

Fragrâncias, sussurros
que falam mais alto
incendiando a vontade
de esquecer!
By me ANA
2011/11/01

sábado, 29 de outubro de 2011

EXISTÊNCIA

(imagem retirada da net)

EXISTÊNCIA

Depois do desencanto,
do desamor,
da angústia,
do desencontro,
depois de tanto pranto,
restam sobras, húmidas
de um olhar frio,
sem cor, acutilante,
onde frescas carumas
seduzem num bambolear
desconcertante...
o corpo,
desalinha-se
em doces volúpias,
onde a tristeza
não tem lugar,
deixando escorrer
o tempo, que alheio
se vai fechando
em contratempo,
beliscando aqui e ali
as mesmas sobras
que sem remorsos
apunhalam o coração
num sobrepor de lucidez
e razão...
o circulo fecha-se,
enquanto sem compaixão
se exorciza o pensamento
dentro de uma existência,
vazia, fria e calculista
deixando-se a dignidade lá fora,
recolhe-se os restos
mutilados pelo tempo,
já sem graça
juntam-se os cacos,
e, finge-se....finge-se
que ainda arde
dentro do peito a esperança
que num gotejar burlesco
nos vai endurecendo a vida!
By me ANA
2011/10/28

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Embalar de Sonhos

( imagem retirada da net)

Embalar de sonhos!

Queria percorrer as linhas do teu corpo,
sentir cada poro, cada sulco
perdendo-me nas horas,
nas linhas das minhas fantasias,

dizer-te as palavras que nunca te direi,
numa viagem sem pontes,
onde nossos corpos navegassem
nas águas límpidas dos nossos sonhos,

sonhos loucos
dentro de sótãos livres,
sem degraus,
onde os mistérios da vida
nos despertassem
sem hora marcada...

...e, lado a lado
numa longa caminhada
percorrêssemos as nossas fantasias
reinventado os impossíveis,

queria sentir-te,
devorando a vida
sem algemas,
enchendo todos os espaços
do dia...
...e quando a noite chegasse,
queria desprender-me de mim
num intenso embalar
queria contigo
ficar.....
By me ANA
2011/10/28

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

FEITIÇO DA LUA

(imagem retirada da net)
Feitiço da lua

sou barro encorpado
numa noite vadia,
sou chuva que caí,
sou vento,
sou movimento,
sou feitiço intenso,
sou fantasia e esperança,
sou coragem e melancolia,
sou tristeza na solidão,
sou barco perdido na recordação,
sou paixão,
sou saudade,
sou revolta na indecisão,
sou culpa na dúvida,
sou pecado na sedução,
sou desejo,
sou inocência
em cada adormecer,
sou tormento em cada alvorecer,
mas acima de tudo
sou vida por viver
ao sabor da corrente
onde a lua me beija
e o feitiço está presente...
by ME ANA
2011/10/26

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

DECALCO

(imagem retirada da net)

Decalco

decalco os sonhos,
invento formas,
bordo sorrisos
no meu trapézio
inventado,

solto as amarras
sem compromisso marcado,
num arquitectar de sentimentos
provoco-me...
...fantasiando a inocência
das formas dos gestos
onde esculpo cada palavra
inventada...
e num arfar de memórias
escondo os pensamentos
metades de mim...histórias,

afago em cada anoitecer
as imagens do meu ser,

talho cada uma
num beijar de poros
segurando o silêncio
que geme no limbo
do meu olhar,

decalco...
pedaços de vida,
emoções,
cerzindo cada um
em cada adormecer,
quando amanhece,
folheio as finas folhas
bem devagarinho
soletrando cada vogal
para não esquecer
quem sou eu...afinal!
By me ANA
2011/10/24

sábado, 22 de outubro de 2011

VIAJANDO



Viajando

vem....senta-te,
deixa-me saborear o teu colo
e viajar
dentro do nosso mundo
saboreando o silêncio...

faz tanto tempo
que não sinto o teu cheiro,
que não provo o teu beijo,
aquele abraço
que nunca me deixou,
e... me faz viajar no tempo
saboreando um amor
que não passou,

enrosco-me nos teus joelhos
sentindo o fervilhar da paixão,
passeando os olhos num despentear
de ilusão,
e assim te quero,
com ternura,
com fogo,
como uma folha caída
que treme
quando percorre o teu rosto,

a saudade atravessa o pensamento
enquanto vives nos meus sonhos,
abraço-te de mansinho,
tentando não esquecer
que sou viajante dentro do meu tempo!
Numa espera sem fim.
By me ANA
2011/10/22

A CHUVA CAÍ



A chuva caí

aos poucos o corpo desliza
numa suavidade divina
rodopiando sobre um arco
de vida...
os sons envolvem a alma
enquanto as pequenas gotas
escorregam com calma,
incorporando a suavidade
que se faz sentir
simplesmente desliza
enquanto estende a mão
sem sofreguidão
o corpo ...esse
envolve-se pele na pele
degustando o sabor
do arco iris que lhe pinta
o rosto
sacudindo a pressão
em cada gesto
em cada expressão
um toque delicado
de emoção....
by me ANA
2011/10/22

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

DO AVESSO

(imagem retirada da net)

Do avesso

deixou a memória lá fora,
deitou-se nua na noite
os seus olhos transpiram
magoas, cicatrizes de um tempo
que atravessam a alma
presa na dureza da vida,
presa a um passo de tudo...
vergando-se na solidão
que sem compaixão
lhe vai enrugando o sorriso....

do avesso...

regurgita as lembranças
desfolhando cada poro
num vai e vem de loucura!

Sente-se cansada,
soluça em cada adormecer
desatando o pensamento
numa esperança vã,
invasora do silêncio
que ameaçador
trilha cada gesto
desaguando na sua nudez.

Por momentos ...
...quase que se esquece
de si própria
transformando-se
num ser desprezível
duro...
tenta ouvir o silêncio,
cheirar o que dele sobra
para esquecer a dor
que a atormenta...

nada importa...pensa!
enquanto o olhar se turva
fazendo-a esquecer
o ontem...já não o consegue
apanhar,
ficaram por dizer
tantas coisas, gestos
palavras, que o vento levou,

deixando-a ….do avesso...
humanamente ….do avesso!
BY ME ANA
2011/10/21

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

ACONTECE

(imagem retirada do vídeo de Sublimenso)

ACONTECE

O pensamento rasga-se no tempo
a pele enruga-se, o olhar flutua
nas esperas, nas noites, nas horas
onde o sentimento se perde
dando lugar ao momento,

não tem dia nem hora marcada
chega, instala-se e acredita-se,
cerram-se os punhos,
arfa-se a vontade
e grita-se de saudade...

esquecem-se as fragilidades,
sonha-se a dois
numa busca de prazer
unem-se os corpos
num qualquer anoitecer,

acontece....

na surdina da noite
tudo se esquece,
volta-se a sonhar
deixando a realidade lá fora,
fecha-se a porta,
abre-se o peito,
sentindo-se uma chama
que queima ….
arde a emoção
chora-se sem razão...

os beijos...
...acontecem...
os corpos enrolam-se
numa magia translúcida,
contornos de intimidades
que se transformam
em pequeninas verdades,
o perfume exala suavemente
soltando ais de prazer...

acontece....

num lugar qualquer,
num lugar só nosso,
num desacelerar de vida
sem pudor ou dor,

acontece quando a noite
beija o dia
e a vida deixa de ser tão amarga e fria
BY ME ANA
2011/10/12
(escrito ao som de Always somewhere)

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

FAZ DE CONTA

(imagem retirada da net)


Faz de conta

amanhece na cidade
as luzes aos poucos
vão dando lugar a uma claridade
por entre amontoados de cimento
clareando aqui e ali
num faz de conta sem fim...

faz de conta

que tocas o sol
que a melancolia do dia
se foi embora
quando as luzes se apagaram

faz de conta

que o mundo é “UNO”
que a fome não existe
quando o estômago fala
estrangula-se a sua voz
num apertar de cinto atroz

faz de conta

que todos têm pão
que o mundo não é ilusão

faz de conta

ignorando a miséria
desfilando dentro da imperfeição
onde os rostos esfomeados
se escondem por alguma razão

faz de conta....faz de conta!

Que não existe tristeza
a dor se transformou em esperteza
a solidão apodreceu
dando lugar à ilusão
e num degustar perfeito
sente-se o amargo
de tanta gente

faz de conta

quando passas na rua
e alguém te estende a mão
por ventura também é ilusão
e enquanto os prantos dos meninos
se fazem ouvir....
….faz de conta....
que não são lágrimas
são sorrisos escarpados
mistérios que o mundo tem
que um País não vê
escondendo a miséria
num livro sem folhas
onde se escreve sem linhas
num imaginário de enganos
onde tantas vezes se confunde
o sonho e a realidade!

….faz de conta....
by me ANA

sábado, 8 de outubro de 2011

TRANSPARÊNCIAS


(imagem retirada da net)

TRANSPARÊNCIAS

Sentada observa as velhas linhas que percorrem
a nudez deixando visível uma pele cheirosa
mas sem a frescura de outrora,

atrás de si a pequena brecha deixa entrar
o aroma da noite, aquele que sente como seu,
aflorando lembranças, doces lembranças,
aos poucos esquece o dia deixando-se levar
nas nuvens que a noite ilumina...brechas
que o vento aproveita despindo-a....

a musica toma lugar enchendo-lhe o olhar
que se perde na imensidão da noite,

existe uma simbiose perfeita,
um erotismo que se equilibra
fazendo vibrar o pequeno corpo,

transparências que desembocam
em desertos de incertezas,
o desespero do dia desaparece
dando lugar a um natural crepúsculo,
onde as chagas tomam a forma
de pequenas flores tatuando
fragrâncias que percorrem
a velha pele....

à muito que o desencontro
faz parte da sua vida,
à muito que deixou a realidade
embrulhar-se no seu viver
quebrando as barreiras
de ideais já gastos que outrora
reluziam o olhar.

Estéril paz esta que inventa,
fazendo com que os pequenos momentos
se entranhem na pele dando-lhe vida
sobre os olhares peçonhentos
e desatentos de quem passa....

afinal anoiteceu...
e a pequena brecha continua ali...
...aberta deixando entrar os sonhos
estames que se propagam
sem que a felicidade se estrangule
pelo envelhecimento....
a pele tal como outrora
ainda borbulha
num uivar de contentamento,
recosta a cabeça
fechando os olhos
a noite entra-lhe pelos
poros frescos....é um vício
transparências que descarnam
a mente, e que o corpo ainda sente!
By me ANA
2011/10/08

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

doces sonhos

Enrola-te nos meus sonhos, bebe e sacia-te do doce néctar que espera por ti...

A NOITE CAIU

(imagem retirada da net)

A noite caiu
deixando-me embarcar
nas emoções
onde o corpo descansa
a alma dança
e os sentidos se incorporam
sinto a brisa
bater suavemente na face
cansada....
acaricia-me o olhar
e num beijar de quem consente
olho o céu,
que num rasgado sorriso
me envolve o pensamento,

a noite caiu....
...sem promessas
ou boas novas
sigo as pegadas já gastas
tentando tocar a lua
quase em segredo,
por entre suaves
volúpias entrego-me
numa magia de sedução....
e assim...
...enrolo-me nos teus dedos
entranho a tua pele,
numa loucura de prazer
sinto o teu cheiro,
o molhado dos teus cabelos,
o roçar dos nossos lábios
que libertam doces melodias,
deixo-me consumir
perdida nesta ilusão,
entrego-me nas tuas mãos,
deixando-me devorar
pela emoção....
sinto-me inteira
embalada pelo teu toque,
e neste aconchego de alma
satisfaço a sede de ti...
transbordando de amor
neste caír de noite
onde a lua é o nosso resplendor!

E neste acontecer
me envolvo até adormecer.
By me ANA
2011/10/07

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

SINTO FALTA

(imagem retirada da net Posté par jeanlouisgrig )

Sinto falta dos cheiros
dos abraços
de todos aqueles canteiros,

sinto falta da pressa
do tic tac
da correria
dos abraços em cada
final de dia....

sinto falta do amor,
do tempo,
do calor,
daquele sorriso
em cada manhã fria,
sinto falta
daquela alegria,
da verdade
sem maldade...

sinto falta de mim,
sem mutilações
onde as recordações
também fazem doer
mas nos ajudam a crescer,

sinto falta....
sim...sinto falta
dos sons
do coração,
do swing do olhar,
dos lugares
com cheiros
onde me possa perder
e sentir,
abrir a mente
deixando entrar
tudo o que a alma sente....

sinto falta
de encontrar um lugar,
um espaço,
onde a dor
perca o seu valor,
o coração ganhe forma
onde não se perca o sorriso
e exista sempre um ombro amigo!

Viver a vida simples
de mente aberta
sem receios, medos ou vergonha

sinto falta
dos meus sonhos!
De gente de verdade
que não viva a viva
com tanta maldade!
By me ANA
2011/10/07

Para sentir como eu


(imagem retirada da net)

PARA sentir como eu...

Belisquei a pele ainda quente
saída de uns lençóis frescos
onde os desejos tomaram forma
e sem te ter, senti-te envolvendo
o meu corpo em mil beijos
com sabor a mar,

senti este fogo
que me alimenta
todos os dias,
arrastando as tristezas
lavando as decepções
e sem lamentos
vou criando as minhas ilusões,

jorra-me nas veias
a alegria e viver,
a inspiração de um caminho
a percorrer,
as essências,
os aromas,
o chilrear dos pássaros
em cada acordar,
sinto o bater do coração
em cada emoção
trazendo-me sensações
únicas que não quero esquecer...

sorrio, quando ouço aquele som
que me faz espapassar
desacelerando o ritmo,
mas que se entranha
dentro de mim,
fecho os olhos
e....deixo-me ir...
flutuando em cada nota
entrego-me por inteiro
beliscando-me para não perder
cada pitada desse sentir,

são tesouros,
fugazes momentos
que em cada acordar meu
me reconstroem,
são sentimentos,
danças,
pedaços que me renovam
purificando cada amanhecer,

fecho de novo os olhos
sorrio enquanto todos os sentidos
se embriagam naquela musica
que toca...
o que espero da vida!
Não sei!
Apenas me deixo envolver
no ritmo
e, será ele que comanda
os primeiros passos desta manhã
onde o sol ainda não rompeu,
começa a dança,
acelera o ritmo,
e assim o nasceu o meu dia!
By me ANA
2011/10/06

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

SEI PORQUE AMO

2011/10/02
(imagem retirada da net)

Sei porque amo,
sei o sentido dessa pequena palavra,
sei onde a aplicar,
sei também
quando sinto necessidade,
aquela necessidade
de a dizer,
os motivos que me levam,
aquela curiosidade
dos porquês,
o aceitar
a construção
que tantas vezes
me obriga a mutilar
esse desejo
que teima em sair,
que me aguça
os poros
transformando-os
em pequenos embaraços,
ás vezes sufoco
perco a sensatez,
sufoco o egoísmo
deixando-me impregnar
pelo cansaço...
nesses momentos
desfaço o olhar,
as pálpebras ficam trémulas
murmurando entre elas
numa aceitação
como se o tempo parasse
e nada mais restasse ,
os pés se arrastam sibilando
como se confinassem
a um pequeno espaço
eu ...ouço o grito
do corpo,
mas caio de cansaço
num desiquilíbrio de tempo,
deixo-o passar por mim
numa folga de luz
de aceitação,
aparentemente
não me importa que o tempo passe,
eu, estou sempre presente
sei que vou continuar a amar
acreditando
que foram apenas os joelhos
que cederam
...não sei!
Toquei-me...senti a mesma pele,
mais frágil talvez,
afaguei as coxas
sem nada esconder
senti desejo,
o mesmo
que sinto em cada deitar,
arfei de felicidade
estava acordada
e deixava as mãos passearem-se
no escuro,
oscilei,
lembrando-me de alguns momentos
trouxe para bem perto de mim
afinal,
são eles vida
trocas
que me dão força
fôlego para continuar,
o importante é acreditar,
….abraço a noite
sem querer saber de mais nada
pensar dói...
mas mais dói se não ousarmos
em imaginar
que somos amados,
transponho-me nesta barreira,
fortaleço os laços
que um dia hei-de apertar
enquanto isso
adormeço ouvindo o bater
das folhas numa qualquer noite de luar!
By me ANA

domingo, 2 de outubro de 2011

PROMESSAS!

(imagem retirada da net)


PROMESSAS!

Existem lugares de sonho
existem sonhos que transformam
em lugares,
existem vidas de sonho
e outras que simplesmente
se vivem através do sonho,

promessas,
lembranças,
toques,
beijos,
abraços que se dão,
esperas,
sonhos,
que se transformam
e aquecem o coração,

então...
espera por mim
nesse recanto que é
o teu coração,
deixando-me sorrir
enquanto imagino
aquele abraço,
aquele sorriso,
aquele toque....

junta-te aos meus sonhos,
sente-os como teus
deixando-me adormecer
nesse lugar
que é teu...

aquele pequenino espaço
que me aconchega
quando a noite caí....
sem mais nada pensar!
By me ANA
2011/10/02

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

DISTÂNCIA

(imagem retirada da net)

Distância

chamo por teu nome em silêncio
não vás!
Fica comigo, nesta estrada que piso
não vás!
Sente a angústia do meu coração
quando te vejo partir
e outras vezes te espero em vão..

não vás! Espera!
Quero ver o teu olhar,
sentir o teu abraçar,
a macieza das tuas mãos
quando em silêncio tocam as minhas,

sinto medo quando partes,
os soluços engolidos em silêncio
parecem os pequenos ramos
das árvores que quebram com o vento,

não vás!
Em cada gesto meu
existo um afago por dar,
um beijo que rebenta
no silêncio da casa vazia,
na ausência do calor,
na melancolia de vida
vivida em mais um dia...

espreito pela velha janela
que se incrusta na pele
em cada longa espera,
doendo como se fosse a primeira vez,
por entre hesitações
e falsas ilusões,
porque não te sei pedir
que fiques...
...e me abraces sem que o tempo
me fustigue o pensamento,

distância
de momentos,
de ilusões perdidas,
de sentimentos,
de tantos medos
que penetram a garganta
num arremesso de sofrimento
ou coragem,

já não sei se as lágrimas vertidas
choram a tua ausência,
ou a minha,
faço um esforço
para não sentir
imaginando o cheiro do jasmim
que tantas vezes chama por mim....

aqui estou....esperando por um dia qualquer
aquele,
em que me ouvirás
sem medo
e a nossa distância
se toque sem segredo!
By me ANA
2011/09/30

terça-feira, 27 de setembro de 2011

ESCREVO-ME

(IMAGEM RETIRADA DA INTERNET)
ESCREVO-ME

Fiz intervalo nos pensamentos,
são tantas as vezes que me escrevo
que quase perco a noção
onde inicia a realidade
e onde termina a verdade...

escrevo-me,
pelos defeitos
que sem jeito persistem
na caminhada do tempo
daquele parecer
onde o começo
não tem fim,

escrevo-me,
quando penso em ti
e de tanto te querer
sinto-te dentro de mim...

quando a aurora desperta
e neste meu jeito tosco
enrolo as palavras na garganta
sem norte,
tateando aqui e acolá,
entre esperas sem sentido,
revivo
a pele amarrotada
em cada dia mais,

escrevo-me....
….escrevendo-te,
alinhando as palavras
colocando em cada letra
aquele sentimento
rosáceo, firme
de quem tem todo o tempo
do mundo,
engano-me
para não sentir
desespero
assim....neste transpor
papagueio em silêncio,

escrevo-me,
sem pudor ou dor,
lentamente acaricio
este sentimento
que se serve das minhas entranhas
sem dó nem piedade,

escrevo-me,
porque só assim acalmo
este silêncio
que me devora
transformando as horas
em pequenas flores
que plantam o meu jardim

assim....escrevo-me...escrevendo-te
nestas letras sem fim...
by me ANA
2011/09/27

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

sinto

(imagem retirada da net)


sinto o ontem
amo o hoje
espero pelo amanhã
numa premissa de tempo
quedo
em cada anoitecer
fortaleço-me
em cada amanhecer
quando a fina aragem
me vem beijar
em cada deitar
medito
engulo os pensamentos
quando me doem
amo sem tempo
porque o tempo
me devora
e nesse devorar
quase me deixa
sem espaço
para pensar
espero
cada novo dia
como se fosse o último
beijo-o
bem devagarinho
sinto a roupagem
escorrer
quando me encolho
para o novo
dia nascer
sou tudo e nada
sinto tudo e nada
vivo de tudo
e de nadas
pedaços de tempo
memórias
histórias
recordações
que o tempo
ainda não apagou
olho
e nesse olhar
transporto o prazer
de poder ainda amar
sou....
BY ME ANA
2011/09/26

REGRESSO


Regresso ao ponto de partida
vestida de nadas
coberta de outroras
onde não existe um sentido
uma rota
sou acolhida nos braços
da vida
onde o conforto não existe
a lágrima
persiste
e o abraço desespera
dentro dos silêncios
que corroem
a alma,

regresso do inferno
que contagia a vida,
um mundo
dentro de outro mundo
que acaricia a pele
no seu mais profundo
sentir,

manhosa esta manhã,
uma luta de momentos
brisas servidas em conchas
cestas de “ malmequeres”
onde sou jardineira
de um coração pintado,

semeio duras verdades,
espinhos que cobrem
este chão que piso
deixando os pés sangrando,

tudo se envolve,
o sangue que ferve
a dor que não passa
e eu....
sim! E eu!
Contradições de uma escalada,
lições de vida
que aprendo em cada dia
nesta escola que é o tempo...
o mesmo que nos devora
sem pena ou compaixão,

regresso.....ao ponto de partida
esperando que as sementes
deitadas agora por terra
floresçam
produzindo abraços
de felicidade
e audácia...
by ME ANA
2011/09/26

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

ESTILHAÇOS DA VIDA


recostei o corpo no velho puff
quis sentir o afago da sua pele
que aos poucos se fundiu com a minha
toquei-lhe como se fosse a última vez
roçei a saudade do sonho
e deixei-me levar pelo arrepio
que se fez sentir...
hoje não sonhei,
não deambulei pelas ruelas frias
descobri que afinal
também sou gente
que sente!
aos poucos ajeitei os ombros
e senti escorrer pela face
a água do meu mar...esta quente
mas não menos salgada,
apenas queria sentir um equilibrio
entre o que penso
o que sinto
e o que a vida me reservou
e quem sabe ainda terá
para me oferecer!
não senti rancor ou qualquer dor
neste passar fundi a pele
num calmo acariciar...
deixei a fita rodar
afinal este era o meu momento
o verdadeiro, aquele que nem sempre
se sente...
ali estava eu acordando para a vida
uma realidade sentida
deixando-me imbuir pela sua dureza
por alguns instantes um nó apertado
fez-se sentir
e num arrastar de palpebras
olhei à minha volta
senti um ardor dentro do peito
queimava como nunca tinha queimado
até então
era a dor da saudade
por saber que afinal
gosto de vós de verdade...
(dedicado a todos os amigos que aqui estão e passam
vou deixar-vos por uns dias, mas levo cada um de vós dentro 
do meu coração e quero dizer-vos que todos são importantes
na minha vida)
By me Ana
2011/09/14

terça-feira, 13 de setembro de 2011

NOITE....









Escrevo-te letras sentidas
pedaços de mim
jardins perdidos
de beijos com cheiro a jasmim

espero-te nas noites vazias
onde o sol já não entra
dispo a pele que me cobre
e sonho....sonho
sonhos de paixão
escrevendo linhas
expondo as minhas razões

neste pedaço de mundo
arregaço os desejos
esperando que beijes meus seios

e num imaginar sem par
comungando com a solidão
rabisco o teu nome
num pedaço da minha pele

puxo os cordões da imaginação
sou marioneta de mim
soprando com toda a delicadeza
estes sonhos que não têm fim...

por fim adormeço
esperando por ti
...pouco me resta
toco-te ...
dentro desta minha imaginação
...apelo por um olhar
uma palavra
um toque
algo que me faça acordar
e viver a vida!
By me ANA
2011/09/13
(imagem retirada da net)

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Na noite...descalça


















Deambulei pelas ruas
descalça,
senti o frio da noite,
o bater do vento
que num lamento
me trazia
saudades tuas,

frágil,
sem vaidade
comunguei com a verdade,

elevando o cálice
meus lábios tentaram
tocar os teus
deixei cair o véu
que me cobria,

momentos vivos
cumplicidades desejadas
dores de alma
que os olhos buscam
neste rio
que é o tempo,

sinto saudades de ti,
da voz que não ouço,
do corpo que não conheço,
por vezes tenho pressa,
vou na brisa do vento
mas sempre volto!

vagueio...aqui...ali...acolá...
tenho o mar por companhia
o ontem já passou
naveguei secretamente
e pedi se nas asas do tempo
poderia flutuar,

não me respondeu
talvez tivesse passado
o meu tempo de amar!

Continuo rua abaixo
deixei de sentir os pés!
Adormeci...
esperando por ti!
By me Ana
2011/09/12